Carregando...
Blog

Volta ao trabalho e aleitamento materno: como fazer

Uma das coisas boas que esse mundo da humanização do parto me trouxe foi gente bem intencionada. A vida não para depois do parto – é “só” o começo (começo lindo, aliás). Depois de ler muito sobre amamentação, comecei a me inteirar sobre como seria voltar ao trabalho e continuar com o aleitamento materno. Se eu perguntasse ao pediatra, muito certamente eu sairia do consultório com uma receitinha de algum leite artificial (com xarope de milho). Deixei o pediatra pra lá e corri atrás do que queria.
Pra começar, comprei os potes de vidro com tampa plástica. Pra armazenar LM, o pote tem que ser de vidro com tampa plástica. Providenciei também uma bomba para tirar leite elétrica. Todo mundo ama a marca Medela, mas é caríssima. Arrisquei comprando a Matern Milk e gostei. Atendeu bem, mas tem um probleminha: o fio é pequeno. Sempre tenho que usar uma extensão. Mas, antes, eu usava um bombinha manual mesmo, uma da marca Mercur, que também me atendia, mas não tinha o recipiente nela pra guardar o leite. Eu tinha que tirar o leite e despejar no pote de vidro de pouquinho em pouquinho, o que era ruim pra mim porque eu sou desastrada. Bom, com vidros e bombinha a postos, achei que seria facim, facim… Mas, não foi.

Vídeo de orientação de como tirar o leite produzido pela Matern Milk:
No início da amamentação, eu tinha muito leite. Na verdade, o corpo produz muito leite no início porque ele não sabe o quanto o bebê vai precisar. Melhor sobrar que faltar, já dizia minha mãe. Depois de acostumado com a demanda da criança, o corpo se adequa e produz apenas o que é necessário. É nesse estágio que muita gente acha que o leite está secando. O leite não seca de uma hora pra outra. Enquanto houver demanda (bebê sugando), ele será produzido. Sendo assim, a ordenha exige um pouco de boa vontade, paciência e rotina. Pra conseguir ordenhar o necessário pra Artur, eu adoto as seguintes estratégias (às vezes todas ao mesmo tempo, às vezes algumas):

  • Tiro sempre no mesmo horário. Isso é importante pro corpo se acostumar. Ele, com o tempo, vai saber que vai precisar produzir mais naquele momento. A natureza é perfeita!
  • À noite, amamento com um seio só pra guardar o outro para a ordenha da manhã. Atenção: se numa noite você ofereceu o seio direito, na noite seguinte, ofereça o esquerdo. Sempre revezando. 
  • Essa é a MELHOR dica de todas: enquanto Artur mama num seio, ordenho o outro. Essa é batata! Consigo encher um pote de 180 ml em alguns minutinhos. Muito rápido! Só que… o mocinho não tem colaborado, rs. Fica agitado, quer mexer na bomba, pula, vira, troca de lugar! Enfim, essa estratégia não tem dado mais certo, mas é certamente a minha preferida. 
Pra ordenhar é preciso:
  • Lavar muito bem as mãos antes do processo.
  • Prender o cabelo. Se tiver touca, melhor. 
  • Esterilizar bomba e potes. 
  • Providenciar uma fraldinha limpa para limpar o leite que cair. 
No início, parecia que eu não conseguiria. Saía tão pouquinho! Nem chegava a 10 ml. Com o tempo, eu fui pegando o jeito e o corpo também foi se adaptando. O segredo é não desistir. Se for preciso ordenhar no trabalho, é legal levar uma foto do bebê pra dar uma enganada no cérebro, hahaha. Parece brincadeira, mas funciona. Olhar pro rostinho do filhote ajuda na saída do leite. Incrível! Eu preciso de, pelo menos, 30 minutos pra ordenhar uma boa quantidade. Se eu tiver menos que isso, nem tento, pois sei que vou me estressar e, se eu estiver estressada, não sai nada. 
Por que eu não compro uma lata de leite artificial na farmácia logo? Porque eu acredito que não há leite melhor pra uma criança que o leite da mãe. 

No próximo post: como eu faço pra armazenar e oferecer o leite.

Nota: esse post não é um publieditorial. 

Comentários

comments

3 comments

Leave a Reply

Favoritos da Dany
%d bloggers like this: