Carregando...
Blog

Escola não combina com religião

A primeira escola de Caio pertencia a um grupo evangélico. A escola era ótima e optamos por ela porque tinha uma proposta pedagógica bacana para a Educação Infantil e um espaço acolhedor. Não me arrependo. Aquela escola recebeu meu filho com muito carinho e era isso que importava pra mim naquele momento. 
No Jardim III, decidimos que era hora de mudá-lo de escola. Ele estava crescendo e estava aprendendo a ler e a escrever e, pra minha infelicidade, a agenda (dessa primeira escola) vinha com erros gritantes de português. Bilhetinhos carinhosos escritos pela professora, mas com erros inaceitáveis, pelo menos pra quem leciona. Era hora de mudar. Escolhemos, então, uma escola grande, tradicional, mas que não era (declaradamente) religiosa. Quer dizer, não oficialmente, porque o diretor sempre mencionava Deus, o que pra mim, nunca foi um problema. 
A terceira e atual escola do meu filho é católica. Pensamos muito sobre a questão da religião no âmbito escolar. Optamos por deixá-lo nesta escola porque tem profissionais qualificados e é realmente uma boa escola. Acontece que eu acho uma pena misturarem as coisas. Tenho certeza que muita gente deixa de optar por escolas assim por conta da religião. Hoje Caio chegou da escola dizendo que não pode comer carne (por conta da Semana Santa). Ora, no início das aulas, houve uma reunião pra dizer que eles não iriam impor nada religioso e que falariam sobre valores. Acontece que eu não vou lá reclamar, pois eu sabia, desde o início, que corríamos esse risco. A escola é católica declarada. Nós decidimos bancar isso.
Esse post não é uma reclamação. Fizemos nossa escolha com consciência. É apenas um desabafo sobre como eu acho desagradável misturar educação e religião. Às vezes a escola é ótima, próxima de casa (nosso caso), com uma excelente estrutura, mas prega uma determinada religião. Mesmo se eu fosse católica, continuaria achando ruim porque isso acaba segregando, sabe? É como se dissessem: nesta escola, só entra católico. Bora separar o joio do trigo! Não dizem (claro!), mas acaba acontecendo. 
Ainda bem que eu levo tudo muito na esportiva. Caio chega dizendo que rezou, que todo mundo sabe o que dizer na hora da missa e conta coisas sobre a bíblia. Eu não me importo. Explico a ele que acontece desse jeito na igreja católica, mas que em outras igrejas, é diferente, que tem gente que não tem religião e que tem gente que não acredita em Deus. E o mais importante: que ele é livre pra escolher, que quando ele ficar grande, ele vai decidir no que acreditar (ou não), vai rezar ou orar ou, simplesmente, virar pro lado e dormir sem fazer nenhum dos dois. E viva a educação livre de preceitos religiosos!
Leia também: filhos e religiões.

Comentários

comments

20 comments
  1. Valdinei

    Sou protestante e mantenho minha filha num colégio católico e acho muito bom porque neste mundo de hoje é bom uma escola que preza os valores da familia e tem disciplina.

  2. sonia melo ruiz

    Eu estudei o ensino médio no São Vicente de Paulo porque fiz o curso de formação de professores (antigo normal) e era a melhor escola particular que oferecia o curso em questão. Sou evangélica, fui criada no evangelho, família evangélica, super ativa na igreja e tal… Não tive problemas algum na escola, nem nas aulas de religião. A professora de religião me amava pq ela nunca sabia os versículos da bíblia que eu sabia de cor rs Eu ia a todas as aulas, inclusive quandoe ra na capela, mas nunca me "obrigavam" a ajoelhar, confessar, nada… Outros colegas evangélicos do SVP se uniram q uma vez por semana nos reuníamos na sala de religião para orarmos juntos no recreio, tudo permitido pelo Padre e o dept de religião. Formamos um grupo e até montamos uma peça que foi realizada no teatro da escola. O Padre João Batista, que eu adorava conversar, parceiro, nos ajudou em tudo e amou nossa iniciativa. Foi uma experiência bem positiva pra mim. Hj trabalho numa escola tb católica, americana, e até participo do coral que canta na missa, louvando junto dos meus irmãos católicos. E continuo sendo evangélica, todo mundo sabe, e sempre convivemos bem 🙂

  3. Renato Carvalho

    Inverte tudo e imagina que voodoo fosse ensinado na escola do seu filho. Voce ainda acharia que religiao deve ser ensinada na escola?

    Respostas com alto grau de Intolerancia religiosa nao serao toleradas.

  4. Karine

    Amada amiga, desculpe-me demorar tanto assim em escrever aqui. A vida aqui, do lado de cá da poça, está incrivelmente louca!!!

    Bem, nunca havia estudado em colégio católico na minha vida. NUNCA. Não sou católica e nunca quis sê-lo. Respeito aquele que é, que defende, que reza e blá blá blá. Mas, eu não sou e, o que é pior, não acredito na Igreja como instituição. Porééééém, vim estudar numa universidade do Opus Dei. Tem noção? Infelizmente, quando eu vim, não fazia a menor ideia de que a universidade fosse da "obra" (como eles dizem aqui) e te confesso que me apavorei quando descobri. Viviam atrás de mim para participar de "reuniões", de "passeios"… até que num belo dia eu disse: olha, não sou católica, não comparto a ideologia. Respeito vocês, suas cruzes espalhadas pela universidade e estou aqui SOMENTE pela bolsa concedida. ESPERO QUE ME RESPEITEM!!!!
    Eu acho que a escola deveria ter a consciência que muitos que estão ali NÃO SÃO CATÓLICOS: estão na escola porque a qualidade de ensino lá é ótima e tal. Isso me parece mais uma lavagem cerebral que estão fazendo em Caio e na Joanna. Ela também tem isso, de rezar, de Deus, Jesus Cristo… enfim…

  5. Micha Descontrolada

    nunca estudei em escola religiosa, mas lembro de uma prof. evangélica q tive na 3a. série, q orava conosco e nos ensinava tal, cantava hino…tem um q eu amo e canto até hj…e sou católica!!!

    não influencia, não…

    _***
    __**_**
    _**___**
    _**___**_________****
    _**___**_______**___****
    _**__**_______*___**___**
    __**__*______*__**__***__**
    ___**__*____*__**_____**__*
    ____**_**__**_**________**
    ____**___**__**
    ___*___________*
    __*_____________*
    _*____0_____0____*
    _*___/___@______*
    _*_____/ * __/___*
    ___*_____W_____*
    _____**_____**
    _______***** FELIZ PÁSCOA!!!

    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

  6. (Mamãe) ~Pinel

    Concordo de mais Dany!
    E eu espero que, se um dia a Lara estudar em escola católica, ela saiba que essa é uma das zilhões de opções que ela tem na vida, e não a única, a correta, porque isso não existe!

    Realmente, uma pena!

  7. Luana

    Eu estudei todo meu ensino fundamental em eescola evangélica. Colégio Batista Mineiro. Era particular e minha mãe conseguiu uma bolsa de 70% pra mim na época. O colégio ainda é um dos melhores de BH.

    Eu tinha aulas de religião, íamos para o auditório, cantávamos e tal… na época eu era católica, mas nunca teve um momento em que tivessem criticado isso. Não que eu me lembre. Foi muito tranquilo.

    Matricularia meu filho lá numa boa. rs

  8. Tuka Siqueira

    Acho ruim essa mistura na escola pública, onde quem poe seus filhos quase nunca tem opção,mas também me ressinto da falta que faz o ensino religioso nessas escolas. Minhas pequenas agora estão numa boa escola católica e como é particular, você põe ali porque quer,mas ao colocar o filho ali, vc aceita as condições da escola.
    Isso deve ser uma opção de cada família e no caso de não querer uma educação católica,o ideal é colocar numa escola não católica.
    Essa é a minha opinião,o que é bom pra mim. Acho muito ruim uma escola que não dá ensino religioso NENHUM.

    Bja
    #amigacomenta

  9. Loreta

    Oieee,

    Concordo com vc! Acho q não se deve misturar, por uma questão simples de respeito ao direito de escolha das crianças.
    Acho que é normal, natural que os pais acabem influenciando os filhos dentro da fé que eles tem mas, acho inaceitável que os pais obriguem seus filhos a seguir a religião escolhida por eles.
    No meu caso, pesquisei muito por aqui, e optei por uma escola que não é católica e não tem este tipo de influencia, aqui no meu bairro, são duas as melhores escolas, uma super tradicional e católica e esta que meus filhos estão.
    Não tenho nada contra a religião, nem acho errado que as crianças conheçam, muito pelo contrário, acho super saudável que as crianças tenham acesso a todo tipo de conhecimento, só assim poderão fazer uma escolha consciente, que seja boa pra elas mas, não suportaria ter q submeter meus filhos a aulas de catecismo, missas dominicais como ocorre nesta escola católica aqui perto de casa.
    Viva a liberdade de escolha e religiosa!! 😉

    Bjos!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

  10. Tatiane Garcia

    Amiga, eu concordo contigo que escola e religião não deveriam se misturar! Mas é notório que não vivemos num país lá muito laico. Vc foi clara no seu post : Já sabia que a religião ia aparecer na frente de Caio nesta escola e bancou isso! Acho digno de sua parte! Você deve saber que sou evangélica, crente, como queira chamar…eu não gostaria de colocar Pedro Lucas numa escola que o ensinasse a adorar imagens, ou por exemplo: que o obrigasse a participar das festas juninas, que são apologias a santos! (mesmo sabendo que é só uma data festiva, e como cresci em berço católico sempre participei destas festas) Confesso que ainda não me apeguei mto a isso, falta um bom tempo pra chegar na fase da escola…mas sempre é tempo de refletir!
    Achei seu post elegante e sincero como você sempre é. E os fanáticos de plantão que ousaram dizer que você vai queimar em qualquer lugar deveriam olhar mesmo é pro próprio rabo! #prontofalei.
    bjobjo

  11. cintiaEana

    Dany, eu já vi atividades da prof de religião e elas abordavam muito mais a cidadania (respeito aos mais velhos, cumprimento de deveres, respeito às diferenças) do que a religião católica em si. Isso eu acho muito bacana. A religião fica como pano de fundo (ui, acho que vou queimar no inferno agora, heim?) para se promover o desenvolvimento da criança como cidadão de bem. Quanto aos ritos, uma escola tradicional acaba fazendo mesmo, não tem jeito. O que vc faz, que é explicar para o Caio que existem outras religiões, outros ritos e pessoas que não seguem religião alguma, tem a mesma função de formar um cidadão livre de preconceitos que as aulas de religião podem vir a ter. Aí pode estar o ponto de coerência entre família e escola. Estou falando, claro, especificamente, da escola do Caio. Não estou por dentro do ensino religioso em outras escolas católicas.

  12. Thaty

    Nesse post eu li atentamente tudo, até mesmo os comentários…rs

    Não sei se conseguiria ter meus filhos estudando em uma escola católica. Já fui católica e deixei de ser por não concordar com muitas coisas. Não gostaria que meu filho fosse criado com a idéia de que essas coisas são a única verdade.

    Hoje a escola dele não tem religião declarada. Falam sobre Deus, mas também sobre todas as religiões. E eu sempre converso com ele sobre esses assuntos, falo o que eu acredito e explico o que as outras pessoas, de outras religiões acreditam. Digo a ele que é livre para acreditar no que achar que faz mais sentido e que deve respeitar os que pensam diferente e não acreditam no mesmo que ele. Não sei se já está fazendo efeito agora, mas espero que faça no futuro…

    Beijos
    Tati
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

  13. Rose Misceno

    Luna também estuda numa escola católica e declarada e escolhi pelo mesmo motivo que você escolhei a primeira escola do Caio! E pretendo deixá-la nessa escola até o 5º ano e depois a deixarei escolher se quer continuar lá ou na escola que eu quero que ela termine os estudos! Eu acho a escola de alta qualidade, embora se questione muito sua colocação no ENEM é uma escola que aprova muito no vestibular e tem uma educação de filosofia humanista também!
    E de vez em quando chega em casa cantando umas músicas católicas, eu acho engraçado… mas ainda não me importo tanto. Ela não é batizada e só será se quiser, tenho medo que isso interfira de alguma forma na sua vida. Mas por enquanto estamos assim, o pai é católico, mas não frequenta igrejas, então acho que ele poderá orientá-la em algumas questões.
    Adorei o texto!

    Beijão.

  14. Ana Karina

    Oi Dany!
    O que eu vou te dizer sobre tudo isso? Bem, eu ERA luterana e estudava numa escola MUITO católica. Hj em dia, sou católica e no fim das contas agradeço por tudo que, mesmo sem querer, acabei aprendendo na época. Eu vou discordar com vc (não se chateie, é minha opinião); eu acho bom falar sobre religião na escola. Eu tinha matéria de religião! OK que a matéria não era focada no catolicismo, mas ajuda a criança a não "esquecer" ou deixar de lado os ensinamentos. Enfim. Cada um pensa de uma forma. Por isso dizem que religião não se discute né?
    Espero que não fiques chateada, é apenas a minha opinião.
    😉

    Beijos
    #amigacomenta.

  15. dany

    Cíntia, eu, na verdade, conheço os ritos da igreja católica porque eu era católica (daquelas não-praticantes, mas me dizia ser). De uns tempos pra cá, muitas coisas começaram a me incomodar na igreja católica. Muitas mesmo. Foi aí que decidi parar de dizer que sou católica. Acredito em Deus, mas não sigo mais religião.
    Então, quando Caio chega contando o que acontece na escola em termos religiosos, não é novidade pra mim. E não me chateio, até porque eu sabia que isso tudo ia acontecer. Só acho que é totalmente dispensável misturar educação e religião. O Marília, como vc citou, é excelente, mas é longe. Eu não conseguiria buscá-lo e isso pesou na escolha.
    Eu acho que acaba segregando por isso. Vc tem um grupo seleto. Poucos são os que encaram uma escola que segue uma religião diferente da sua.
    Um exemplo muito tosco: já pensou se houvesse uma escola excelente, com excelentes profissionais, espaço maravilhoso, pertinho da sua casa, mas que fosse Vascaína? Todos os alunos têm que cantar o hino do Vasco na entrada. rs
    É um exemplo ridículo, eu sei, mas é só pra mostrar que cada um tem sua escolha e a escola deveria ser imparcial.

  16. Cíntia

    Dany, no meu caso escolhi exatamente por ser uma Igreja Catolica. Como nos somos catolicos, queriamos que nossos filhos tivessem alem desses ensinamentos em casa a continuidade na escola…quando a escola segue uma religiao , acho que acontece exatamente o que vc mencionou : muitos pais deixam de matricular seus filhos aqui ou ali pelo tal colegio seguir uma ou outra religiao, neh? Isso pra mim nao foi negativo, pelo contrario, soma a cada dia! Sou feliz la, seguem todas as doutrinas que eu sigo em casa, isso me alivia, conforta e completa! Mas de fato, acho que com pais evangelicos ou ateus nao rolaria, porque seguem costumes que eles desconhecem ou discordam, neh? Nos tinhamos conversado sobre isso ha um tempo atras, lembra ? Eu recomendei o Sagrado e voce dizia que talvez sua familia nao se adaptasse as questoes religiosas. Quando voce optou pelo Abel, tambem religioso, eu me admirei e torci desde entao que tudo desse certo, como tem dado, acredito! Mas eh um desafio nao ser catolico e ter um filho la! Ha todo um cronograma, eventos religiosos, datas festivas de Santos, enfim, eu acho realmente que as doutrinas catolicas sao bastante fortes . Sabendo que notas/testes/avaliacoes em geral nao sao influenciadas pela participacao ( ou nao) do seu filho nesses eventos especificos eh o que importa agora e sempre para casos como o seu, nao acha? O desempenho de Caio nao estara preso ao cumprimento dos ritos catolicos. Voce percebera que ele seguira o ano letivo bem, independente dos preceitos religiosos. Bom ter voce desencanada com isso e resolvida. Sempre estara reforcando o que voces acreditam, e ele tera em mente que as diferencas convivem no final das contas, ainda que no dia a dia voce enfrente essas "novidades" . Afinal, sua decisao por esse colegio foi considerando a proposta , que ela entao seja convincente ao ponto de vc superar essas diferencas….so uma coisa, nao concordo que haja separacao, segregacao! Acho que a proposta eh exatamente pra completar o que uma familia catolica acredita. Infelizmente os pais que nao seguem as doutrinas de la e que ainda assim "bancaram" essa escolha vao sim vivenciar esses ensinamentos. O Abel, o Sao Vicente, o Sagrado, o Sao Jose, por exemplo, sao declaradamente catolicos, como voce escreveu. Ha ainda uma serie de outros otimos colegios como o Marilia Mattoso, o Marly , etc. , que nao seguem uma religiao especificamente. No momento da escolha, a questao "religiao" foi um dos pontos que a gente analisou e nao tinha como ser surpresa. A diretora do Sagrado sempre diz nas reunioes que sao de base catolica, que seguem doutrinas especificas, nao impoem que os alunos sejam ou se tornem catolicos, mas vao seguir toda uma preparacao , por exemplo, pra coroacao de Nossa Senhora, pra o cumprimento da Semana Santa, para a celebracao da data da madroeira/padroeira da Escola, etc…Imagine pais evangelicos ouvindo isso, vao entender perfeitamente o "choque" de diferencas que vao viver. Estou me lembrando de uma coleguinha de AB ano passado. Budista, ela nao ia no dia de cada evento, mas diariamente ouvia sobre os preparativos, participava das aulas de religiao, na entrada ouvia ( nao acompanhava ) o oracao a Nossa Senhora, enfim, acho que deve ser mais ou menos o que Caio vai vivenciar. Legal voce saber lidar com isso tudo….
    Tomara que no final das contas o balanco seja positivo. Que voces sejam satisfeitos com o ensino acima dessas religiosidades…rs…..de qualquer forma, esteja sempre atenta as datas do Marilia Mattoso ( em Sao Domingos). Lembre-se que eles la so aceitam alunos novos ate o 6o ano, e que se voces nao se adaptarem ao Abel por todas essas questoes, eh uma excelente opcao pra 2013! rs
    Bjos

  17. Ivana Millán

    Eu sou da época que tinha aula de religião na escola. A professora olhava pra mim e dizia: "É crente? Mas vai rezar Ave Maria sim, viu?" E eu, como sempre fui muito democrática, arrebentava a boca do balão, altas revoluções aos 9 anos de idade, e consegui ser "isenta" da aula de religião. Era a única crente que ficava do lado de fora (às vezes na janela provando a óstia que os colegas me davam, não nego), mas já achava um absurdo a imposição.
    Em outro colégio, na quarta série, a professora chegou a dizer que eu era uma retardada. Uma freira também me tratou super mal. Mas eu, fora da sala.
    Sei lá, acho que meus pais apoiavam a minha rebeldia contra a imposição (nem lembro), mas morriam de vergonha quando eram chamados na escola porque eu tinha feito um reboliço (por causa de religião, do ar-condicionado quebrado, whatever).

    Me lembro de um dia que a diretora chamou minha mãe e disse com muita raiva: "É uma afronta ela vir tirar satisfação comigo! Essa menina é uma líder, trouxe todas as crianças!", como se líder fosse sinônimo de rebelde. Eu gravei essa cena na minha cabeça e até hoje me lembro os gestos e a raiva.

    A escola mudou muito mesmo, hoje nós podemos questionar a escola. Tem gente que acha ruim, tem professor que odeia esse diálogo e que está feliz impondo coisas às crianças. Na minha opinião, quanto mais discussão, melhor. Já estou armando um plano estratégico para a escola dos meus filhos aqui. Sabe que as criancinhas são obrigadas a ir pro colégio de trança e os meninos a cortar o cabelo? Afff… meu corpo estremece de raiva. E se meu filho for roqueiro como o pai e quiser cabelo grande? :S Como assim não pode? A trança, então, sem comentários! #$*&!*@*#@!

    Aqui os colégios católicos (ggggggggrrr) não deixam os alunos de outras religiões se matricularem. Aqui tem PROVA pros alunos entrarem na escolinha. Aos 3 aninhos de idade eles passam por um mini-vestibular. Tem coisa mais absurda? É um mundo atrasado e triste. Eu vou lutar!!! Ah, se vou!!!! gggrrr…

  18. Um espaço pra chamar de meu

    Dany, meus filhos sempre estudaram em escola católica franciscana, sou católica e escolhi a escola por isso, mas por incrível que pareça a maioria dos alunos é protestante…Não há segregação, pelo contrário na aula de religião a professora pediu que cada criança pesquisasse sobre a SUA religião e depois falasse na sala de aula. Minha filha chegou encantada pois ela descobriu a religião das amigas, uma espírita, uma protestante e outra da igreja messiânica…A integração é sempre estimulada e ninguém é discriminado por isso.Eles não ensinam doutrina, mas nos dias dos santos fazem a memória e sempre rezam antes das aulas e celebram todas as festas católicas.
    Essa escola deve ser mais tradicional que a que meus filhos estudaram (tive que trocá-los por conta da minha faculdade, com muita dó)e ensina a doutrina tbém…
    Bjs e boa páscoa!!!!

  19. Rafael Noris

    Concordo com você em tudo o que foi colocado no post.

    No meu caso, a coisa é um pouco diferente: eu sou ateu e pai solteiro, meus pais é que me ajudam a criar meu filho, porém, eles são católicos e não aceitam que meu filho seja educado sem religião, acham um absurdo, acham que sou um monstro por querer isso.

    E como minha mãe fica com ele pela manhã, ela acaba mostrando imagem de santinhos, usando expressões como "não faz isso que Papai do Céu chora", ou que os "anjinhos blá blá blá".

    Eu odeio isso, mas evito brigar. Porque no fim das contas, tive uma educação religiosa e olha o que me tornei? rsrsrs

Leave a Reply

Favoritos da Dany
Por favor, aguarde!

Cadastre o seu email e receba as nossas atualizações!

Digite seu nome e email e receba nossas atualizações assim que eles forem postados. Seja sempre o primeiro a saber das novidades!
%d bloggers like this: